Notícias

Portugal e Espanha assinam acordo para aquisição centralizada de medicamentos e tecnologias da saúde

11 Julho, 2017

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes e a ministra da Saúde, Serviços Sociais e Igualdade de Espanha, Dolors Montserrat assinaram uma declaração de intenções, no dia 10 de julho, para iniciar negociações sobre compras centralizadas de medicamentos entre os dois países.

Incidindo no financiamento e na fixação de preços de medicamentos e outras tecnologias de saúde, na partilha de informações e na elaboração de documentos nesta área, o acordo, assinado em Madrid, marca o arranque das negociações. Um dos objetivos passa pela redução significativa de custos na aquisição de medicamentos inovadores e de tecnologias da saúde.

Como responsável pelos Sistemas de Informação na Saúde e Central de Compras Públicas, a SPMS acompanhou o ministro da Saúde, sendo representada pelo presidente do Conselho de Administração, Henrique Martins, e pelo vogal executivo, Artur Trindade Mimoso.

foto

Os dois países estão interessados em avançar para um procedimento comum de seleção de medicamentos e produtos de saúde. Para aprofundar o conhecimento recíproco, relativamente aos procedimentos de aquisição em vigor em cada país, Portugal e Espanha vão iniciar o intercâmbio de peritos.

Portugal e Espanha foram dois dos nove países europeus que, em maio, assinaram a Declaração de La Valletta, definindo “objetivos semelhantes de defesa do acesso à inovação” na área do medicamento e para a “sustentabilidade dos sistemas de saúde”.

O acordo assinado incide, também, sobre vigilância sanitária e investigação, reforçando, assim, a cooperação entre os dois países.

ACC_Portugal-e-Espanha

Comitiva da Eslováquia visita SPMS

29 Junho, 2022

A SPMS recebeu uma comitiva eslovaca no âmbito da visita de estudo promovida pela DG Reform da Comissão Europeia e pelo Ministério da Saúde da Eslováquia nesta quarta-feira, dia 29 de junho, em Lisboa.

SNS 24 continua a melhorar acesso e promove equidade

23 Junho, 2022

O contacto remoto entre o cidadão e o Serviço Nacional de Saúde, independentemente da porta escolhida: telefónica, digital ou presencial, tem contribuído para fomentar a inclusão social e a literacia digital em saúde, possibilitando uma experiência uniforme, integrada e com qualidade.

Voltar
co-financiamento
Donec luctus ultricies nec ut elit. Aenean velit, ut massa dictum
Voltar para o topo.