Notícias

Debate | “Uso massivo da tecnologia é o grande legado da pandemia”

20 Janeiro, 2023

“Estamos hoje, e isso é absolutamente indiscutível, francamente mais bem preparados para lidar com uma pandemia do que estávamos há três anos. Agora a verdade é que também todos esperamos que não seja uma realidade muito próxima”, salientou Luís Goes Pinheiro, presidente da SPMS, no debate promovido pela SIC Notícias, tendo por base um recente estudo realizado em exclusivo para o Jornal Expresso sobre a pandemia.

O estudo centrou-se nas perceções dos portugueses relativamente à pandemia, passando pela resposta dada pelos serviços de saúde em Portugal durante a altura mais crítica, desde a vacinação, aos cuidados de saúde e às sequelas deixadas.

Ana Peneda Moreira, jornalista da SIC Notícias, moderou o debate transmitido na noite de 19 de janeiro, que além de ter contado com Luís Goes Pinheiro, teve as presenças de Filipe Froes, pneumologista e coordenador do Gabinete de Crise para a Covid-19 da Ordem dos Médicos, de Miguel Arriaga, chefe de divisão de Literacia, Saúde e Bem-Estar da Direção-Geral da Saúde, e Pedro Morgado, coordenador regional de Saúde Mental do Norte.

“Ao longo desta pandemia verificámos várias vezes a necessidade de todos, todos aqueles que estivemos envolvidos neste processo de nos reinventarmos e de repensar novas soluções para enfrentar a pandemia nos seus diversos momentos, que foram sempre diferentes uns dos outros”, destacou o presidente da SPMS.

A União Europeia encarou a pandemia como uma oportunidade de desenvolver, através da tecnologia, mais e melhores terapêuticas que poderão ser cruciais na resposta a novas situações do género daquela que ainda vivemos.

A saúde mental e a vacinação mereceram uma análise mais aprofundada neste debate, com base no estudo feito que concluiu que 42% das pessoas inquiridas admite que sentiu impacto na sua saúde mental e 76% tencionam cumprir o futuro plano de vacinação.

Autoagendamento “migra” para o SNS24

Sobre a vacinação, Luís Goes Pinheiro anunciou a abertura do autoagendamento para maiores de 45 anos através do portal SNS 24, que “vai ser um processo progressivo”, sublinhou, considerando que esta ação irá incrementar a taxa de vacinação. “A certeza de poder escolher o dia e o local mais conveniente é seguramente um aspeto fundamental”, destacando a importância para que se continue a divulgar amplamente as vantagens da vacinação, num país em que 96% das pessoas se vacinaram contra a Covid-19.

A facilidade de acesso à vacinação, através do autoagendamento no portal SNS 24, pode ser um elemento absolutamente fundamental para se continuar a manter as taxas de vacinação altas, reiterou Luís Goes Pinheiro.

Das lições aprendidas e resultados obtidos ao longo destes três anos, Luís Goes Pinheiro evidenciou “ a forma como mudou a mentalidade das pessoas relativamente à utilização da tecnologia. A tecnologia hoje entrou com tanta força nas nossas vidas que acelera de forma evidente muitos processos”.

Caso aconteça uma situação semelhante no futuro, os especialistas acreditam que o Serviço Nacional de Saúde está hoje mais bem preparado do que estava há três anos para enfrentar pandemias. Estaremos seguramente bem preparados, mas esperemos que essa necessidade de enfrentarmos um desafio com esta dimensão não surja nos próximos tempos”, realçou o dirigente da SPMS.

Temas

|

SPMS participa em debate sobre transformação digital e inteligência artificial

10 Abril, 2024

A transformação digital e o impacto no setor da Saúde deram o mote à participação de Luís Miguel Ferreira, vogal executivo da SPMS, em conferência que decorreu em Lisboa, ontem, dia 9 de abril. Na sua intervenção, Luís Miguel Ferreira destacou o papel fundamental que a SPMS assume no processo de transição digital, sublinhando o […]

PEM celebra 11 anos e 235 milhões de receitas sem papel

8 Abril, 2024

A aplicação de Prescrição Eletrónica Médica (PEM) foi disponibilizada, pela SPMS, ao sistema nacional de saúde em 2013. Desde então, permitiu emitir perto de 388 milhões de receitas eletrónicas, das quais mais de 235 milhões totalmente desmaterializadas. Quase 200 prescrições por minuto é a média diária de receitas emitidas, entre as 9 e as 20 […]

Voltar
Voltar para o topo.